. o mundo colorido de Katy Perry

Ou você odeia a música dela com todas as forças ou ama de paixão. Ou você acha que a voz dela flutua impecável ou que é um mero produto do Auto Tune, a máquina do tom perfeito. Ou você se sente instigado e/pou excitado pelo modo como ela se veste, toda retrô, de modo burlesco, com cupcakes felizes e sorridentes para arrematar, ou você é como aquelas mães da PTA (Parent-Teacher Association, algo como Associação de Pais e Mestres) odiadoreas de decotes, que baniram o dueto da cantora com o personagem Elmo no programa Sesame Street (no Brasil, Vila Sésamo). É uma daquelas coisas que Katy Perry tem, quase tudo o que ela faz, diz, veste ou não veste pede uma reação extrema. Mas tudo o que ela quer fazer é tocar sua música. (Rolling Stone Brasil – Nº60)

depois do seu show no Rock in Rio ter recebido algumas críticas, chegou a hora de conferir se era verdade no show de São Paulo, que aconteceu dia 25/07 lá na Chácara do Joquei.  Pois é, não era, pelo menos não nesse show que encantou todo mundo que estava lá. Continuar lendo

Anúncios